INTEGRA estimula estudantes a assumirem papel de agentes da mudança no uso sustentável dos recursos naturais

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Criança regando plantas
Estudantes nas experiências de Global Challenges são agentes da mudança e convidados a refletir sobre  a importância da educação sobre as mudanças climáticas e sustentabilidade

Uma das medidas mais importantes para combater o avanço da Covid-19 está no simples ato de lavar as mãos. Infelizmente, nem todos podem fazer isso, porque, no Brasil, há 2,4 milhões de lares sem água encanada, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE ). Por isso, especialmente hoje, no Dia Mundial da Água, é importante refletir sobre as responsabilidades individuais e coletivas no uso sustentável desse recurso natural, na democratização do seu acesso e, sobretudo, na construção de uma nova mentalidade sobre a relação entre homem e natureza.

Não por menos, os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), fazem parte das premissas pedagógicas da Integra, sustentadas no pilar Global Challenges (Desafios Globais). Não por menos, a Integra foi a primeira instituição de ensino da rede básica de Minas Gerais a fazer parte do “Movimento Escolas pelo Clima”. A pandemia está escancarando a relevância da água para a existência da vida no planeta, assim como a importância da Educação como caminho possível para a transformação necessária que leve à perenidade.

“Nossos estudantes são agentes da mudança e convidados a refletir sobre a importância da educação, sobre as mudanças climáticas e sustentabilidade. Durante os meses de fevereiro e março, participaram de projetos que representavam o cuidado com a água e o saneamento básico, potencializavam a responsabilidade pelo uso sustentável e pela identificação de questões relativas ao tema que afetam a escola”, conta a Líder do pilar Global Challenges, Bruna Martins. E não faltam motivos para a real preocupação com a dimensão do estresse hídrico que já afeta 2 bilhões de pessoas em todo o mundo e se consolida como o grande fator de risco para qualquer projeto futuro.

“No Brasil, as fontes de captação – majoritariamente mananciais– não assistiram a avanços em inovações que pudessem evitar de forma significativa o desperdício, um dos principais problemas enfrentados. A má qualidade da água nas regiões de baixa renda, resultado da falta de saneamento básico e higiene, é um vetor que afeta todo o sistema de saúde”, revela artigo assinado pela Diretora e representante da Unesco no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, pela Representante da FAO no Brasil (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), Rafael Zavala, e pelo Diretor-executivo da Rede Brasil do Pacto Global, Carlo Pereira.

“Em um momento de crise causada pela pandemia de Covid-19, a falta de condições para a higienização multiplica os riscos de contágio. Se isso acontece em um dos países com maior potencial hídrico em todo o mundo, o impacto é ainda maior em países semiáridos de baixa renda econômica.  Caso o cenário não se altere, o mundo vai enfrentar um déficit hídrico de 40% até 2030”.

Já imaginou o mundo sem água?

Criança segurando copo d'água
Na INTEGRA educadores e estudantes conversam sobre maneiras de preservar e reutilizar a água

Para estimular as crianças a pensarem alternativas para o uso racional e sustentável da água no dia a dia, os professores de Global Challenges da INTEGRA realizaram diversas atividades, com o apoio de vídeos, rodas de conversa e experiências práticas. Os estudantes foram desafiados a pensar como seria o mundo sem água, para que alcançassem a enorme relevância que o recurso natural tem para a existência de todos os seres vivos.

Temas como poluição, saneamento básico e estratégias de preservação e de reutilização também estiveram em pauta, assim como o ODS 6 da Agenda 2030 da ONU – Água Potável e Saneamento -, cuja proposta é “assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e do saneamento para todos”.

A água é tão importante que ela é fator crítico para o sucesso de todos os outros 16 ODS. Por isso, a governança responsável deste recurso, que passa, necessariamente, por um profundo projeto de educação, do qual a INTEGRA se sente parte, é indispensável para que ele chegue a todos com qualidade e quantidade suficiente para condições dignas de vida.

Água é dignidade.

Deixe um comentário

Prepare seu filho para os desafios de um mundo em transformação